Golo de Joel valeu "explosão de alegria indescritível"

“Pelo facto de o jogo ser com o U. Lamas, contava que estivesse muita gente, mas não tanta como esteve”. Joel, o homem que abriu caminho à vitória do Sp. Espinho que valeu a liderança partilhada do Campeonato Safina com o Esmoriz, enfatiza a grandeza do dérbi do último domingo, realça a importância da vitória e lembra a “explosão de alegria indiscritível” que sentiu após o golo que apontou.

Foram perto de 4 mil almas no Comendador Manuel Violas, uma moldura humana de respeito, que “não é normal” de se ver nos campeonatos distritais. Porém, “quando o Sp. Espinho está bem, a cidade mostra que está com a equipa, e aí vê-se a força que o clube tem no panorama do desporto distrital e nacional”.

O cartaz também era apelativo. “O Sp. Espinho-U.Lamas é o maior dérbi que o Espinho tem”, diz Joel, que fala num “jogo que é sempre especial”.

O do passado domingo acabou por ser um pouco mais. O médio inaugurou o marcador, a passe de Carlos Manuel, um golo que deixou os adeptos espinhenses em êxtase: “Sentiu-se, no estádio, uma explosão de alegria indescritível. O que se sentiu naqueles segundos a seguir ao golo foi incrível. Nunca tinha tido aquela sensação dentro de campo”.

A vitória seria confirmada por Carlos Manuel, de grande penalidade, e deixa os Tigres na liderança do Campeonato Safina, em igualdade pontual com o Esmoriz, derrotado pelo Alba. “Estamos na posição que nunca escondemos que queríamos”, admite Joel, sem contudo embadeirar em arco, até porque “o importante é estar nesta posição no final” do campeonato.

Diante do U. Lamas, o Sp. Espinho completou um volta completa sem perder no principal escalão de Aveiro. Isto após um arranque longe de ser empolgante. “Treinador novo e novas ideias” levaram a alguns dissabores, nos quais Joel até vê pontos positivos.

“Os resultados menos positivos do início da época fizeram-nos bem. Fizeram a equipa colocar os pés no chão, crescer, trabalhar, e perceber que o campeonato deste ano ia ser muito mais competitivo e nivelado por cima do que o do ano passado. Fez-nos ser mais consceintes das dificuldades que íamos ter este ano”, explica.

Chegados ao topo do Campeonato Safina, após uma escalada íngreme, os Tigres apostam tudo em vingar a desilusão da época passada. “Estamos com vontade de completar o que não foi feito no ano passado”, remata Joel.

21 de Fevereiro de 2017
Rui Santos
[email protected]
Final Version
Notícias Relacionadas
Jogadores
Equipas
Categorias
Tags
Twitter
Facebook
Notícias Mais Lidas