S. Vicente Pereira quer entrar a ganhar na próxima edição da 1.ª Divisão Distrital

Quinto classificado na última edição da 1.ª Divisão Distrital de Aveiro, a escassos seis pontos dos lugares de acesso ao Campeonato Safina, o S. Vicente Pereira garantiu a continuidade do treinador Adriano Machado e já confirmou sete reforços. Arrancar bem em 2018/2019 é o primeiro objetivo, algo que servirá de base para uma avaliação contínua das metas a alcançar ao longo da temporada.

O emblema do concelho de Ovar tem sido um dos mais ativos no mercado de transferências, tendo, até ao momento, anunciado as chegadas do guarda-redes Paulinho (ex-Furadouro), dos defesas Diogo Relvas (ex-S. João de Ver), Pikas (ex-Geração RD) e Meireles (ex-Estarreja), dos médios Tó Frangolho (ex-Carregosense) e Muge (ex-Carregosense), e do avançado Óscar (ex-Estarreja). A estes junta-se Faria, jovem atacante que foi promovido dos juniores.

“Os alvos estavam muito bem identificados. Fomos muito assertivos a atacar os jogadores, e o clube também goza de uma imagem que lhe permite ter mais argumentos na mesa das negociações. Foi com uma certa facilidade que conseguimos atrair atletas que serão uma mais-valia”, analisa Adriano Machado, que não esquece aqueles que, entretanto, já acertaram a continuidade no clube, casos de Renato Oliveira, Nélson Amaral, Diogo, Joca, Rodrigo Cabral, Cláudio Resende, João Bastos, Cláudio, Resende, Pacheco, Paiva, Litos e Manu.

“Começar o campeonato a ganhar” é a primeira meta a atingir, para depois, “jogo a jogo, definir o objetivo final”. O técnico acredita que “a 1.ª Divisão Distrital vai ser ainda mais competitiva” na próxima temporada, nada que lhe retire confiança numa boa prestação da sua equipa.

Adriano Machado vai para a quarta temporada consecutiva no S. Vicente Pereira, as últimas três no comando da equipa sénior. A continuidade começou a ganhar contornos mais definidos após “a nova presidência do clube ter demonstrado o quão importante isso seria” para o emblema de Ovar. As “excelentes condições para trabalhar” e “um grupo de trabalho que consegue criar uma convivência sã” foram os restantes fatores que ajudaram a selar a permanência da equipa técnica no clube.

Fotografia
Associação Recreativa e Cultural São Vicente Pereira

2 de Julho de 2018
Rui Santos
[email protected]
Notícias Relacionadas
Equipas
Categorias
Tags
Twitter
Facebook
Notícias Mais Lidas