O póquer do fã de Zlatan que já foi 'Tacuara'

É fã de Ibrahimovic, foi apelidado de Tacuara na juventude, e gosta de ir à luta por fichas no póquer. Óscar Nunes, autor de quatro golos na vitória do S. Vicente de Pereira diante do Antes (5-0), foi a figura da segunda jornada da 1.ª Divisão Distrital, um feito que dedicou aos pais. “A minha mãe até disse que lhe enchi a alma”, conta, com um indisfarçável orgulho.

O início de temporada do emblema de Ovar tem sido sempre a abrir. Dois jogos, duas vitórias, oito golos marcados e ainda nenhum sofrido. Mais de metade dos remates certeiros são da autoria de Óscar Nunes, nascido e criado em S. Vicente de Pereira, que decidiu regressar a casa “para ganhar novamente confiança”.

Para já, as coisas caminham nesse sentido. O avançado leva cinco golos apontados, quatro dos quais no último jogo, em Antes. “Como sénior, foi a primeira vez” que conseguiu um feito que dedicou aos pais. “Eles acompanham-me sempre, e foi um momento especial. Soube bem festejar com eles. Estavam muito contentes”.

Os companheiros de equipa também não deixaram passar o momento em claro. No balneário, após o jogo, a palavra que mais se ouviu foi ‘póquer’, até porque Óscar é um confesso admirador daquele jogo de cartas.

Goleador nas camadas jovens, de tal forma que chegou a jogar nos juvenis do Vitória Sport Clube e nos juniores do Feirense, o avançado é um admirador confesso de Zlatan Ibrahimovic. “Tento imitá-lo em algumas coisas, sobrtetudo a forma como ele remata”, conta. No entanto, na juventude, a alcunha que lhe davam era 'Tacuara', em alusão ao paraguaio Óscar Cardozo, que passou pelo Benfica. “Na altura, era um bocado preguiçoso como ele”, explica, entre sorrisos.

O bom início de temporada do S. Vicente de Pereira abre boas perspetivas à equipa, que se limita a “pensar jogo a jogo”. “Depois, mais para o fim, se correr bem, pensaremos um bocadinho mais alto”, completa. Em termos de golos, a meta a atingir são as duas dezenas. “Se forem mais ainda melhor, se forem menos tudo bem na mesma. Para já, está a correr bem”.

Certo é que Óscar Nunes se sente bem num clube que lhe diz muito. “Estou aqui pelo projeto e para ajudar o clube a ser maior no distrito de Aveiro. Sou natural daqui, sinto o símbolo de outra forma. O plantel tem dois ou três jogadores da terra, e tentamos passar-lhes ao máximo o que significa o clube”.

Fotografia
Associação Recreativa e Cultural São Vicente Pereira

27 de Setembro de 2018
Notícias Relacionadas
Jogadores
Equipas
Categorias
Tags
Twitter
Facebook
Notícias Mais Lidas