João Saltão descobriu o futsal tarde mas já não quer outra coisa

Em ano de estreia no Campeonato Grande Hotel de Luso, o Barcouço segue na parte cimeira da tabela, um registo que se explica pela qualidade e a união do plantel. “Queremos sempre ganhar, mas o nosso principal objetivo é garantir a manutenção o mais rápido possível”, salienta João Saltão, que apontou três golos na recente vitória diante da ARCA, por 8-4.

O ala, de 24 anos, chegou tarde às quadras. “Esta é a minha terceira época no futsal”, conta, ele que se formou no futebol, entre a Académica e a União de Coimbra, e, já na idade adulta, representou o Oliveira do Bairro e a equipa B dos estudantes. Só que o trabalho começou a apertar, com horários que o impediam de comparecer aos treinos, e João acabou por se dedicar às lides profissionais.

“Entretanto, uns amigos que foram jogar para o Barcouço convidaram-me para ir também. Inicialmente, treinava uma vez por semana, até que fiquei com horários que me permitiam treinar regularmente”, explica o atleta, que teve de se adaptar a uma modalidade “mais rápida, em que, taticamente, é preciso estar muito mais atento, porque qualquer erro é fatal”.

Começou por ser pouco utilizado no ano de estreia, mas acabaria por ser um dos protagonistas da histórica subida do clube da Mealhada ao Campeonato Grande Hotel de Luso, na época passada, e logo como campeão da 2.ª Divisão Distrital. Marcou 36 golos, pontaria que mantém nesta temporada, já que leva oito em 11 jornadas.

“É sempre bom poder ajudar a equipa. Se for com golos ainda melhor, mas o que interessa é ganhar”, atalha o ala, para quem “a qualidade e, mais importante do que isso, a união do grupo têm feito a diferença” esta época. “A maior parte das equipas conhece o Barcouço, mas não os jogadores que aqui jogam, até porque muitos vêm de Coimbra”, acrescenta, antes de elencar os objetivos para o que falta jogar no campeonato. “O principal é a manutenção. Estamos a caminhar para isso. Se, entretanto, a conseguirmos, o objetivo passa por atacar os lugares cimeiros”.

O futuro, esse, é encarado com ambição. “Que o clube tenha ainda mais sucesso e, individualmente, espero continuar a ajudar a equipa no que puder. Se for com golos, ainda melhor”, atira João Saltão, que tem uma certeza sobre o que quer no desporto: “Para ser sincero, já não me vejo a voltar ao futebol. Espero continuar a jogar futsal nos próximos anos”.

17 de Janeiro de 2019
Rui Santos
[email protected]
Notícias Relacionadas
Jogadores
Equipas
Categorias
Tags
Twitter
Facebook
Notícias Mais Lidas