Brilharete do Arrifanense na Taça de Portugal tem toque de Messi

Prossegue a epopeia do Arrifanense na Taça de Portugal, a única equipa a competir em campeonatos distritais ainda em prova. Após ter ajudado com golos a afastar três clubes da 2.ª Divisão Nacional nas primeiras eliminatórias, Messi, um dos artilheiros da competição, espera que o sorteio traga “um dos grandes” até Arrifana. “Era bom um Benfica, um Sporting ou até um Futsal Azeméis”, especifica.

Arsenal Parada (6-4), Âncora Praia (6-5) e Juventude de Gaia (5-2), todos do segundo escalão nacional, perceberam que o Arrifanense não é apenas uma equipa do distrital. “O segredo está na nossa humildade e entrega ao jogo. Depois, temos uma equipa muito boa. A maior parte dos jogadores já jogou nos Nacionais, são muito experientes, e isso leva-nos a saber o que vamos encontrar”, explica Paulo Correia, que virou Messi, ainda na ACR Vale de Cambra, pela habilidade que evidenciava com a bola nos pés. “Na altura, até foi o Canavarro que me apelidou de Messi, e ficou”, recorda, entre sorrisos.

Boa parte da campanha do Arrifanense na Taça de Portugal é explicada com a eficácia do ala, que é, a par de Daniel Silva (Mogadouro), o melhor marcador da prova, com seis remates certeiros. “Fico contente por marcar golos e por ajudar a equipa a atingir os objetivos”, que passam por chegar o mais longe possível, com uma ambição pessoal pelo meio. “Gostava de defrontar um dos 'grandes'. É praticamente impossível ganhar, mas era muito bom recebermos uma equipa do mais alto patamar do futsal”, preferencialmente “um Benfica, um Sporting ou até um Futsal Azeméis”.

Prova de força do Campeonato Grande Hotel de Luso
Para se compreender na sua plenitude o brilharete do Arrifanense na atual edição da Taça de Portugal, os verde e brancos são a única equipa a competir nos distritais ainda em competição. Uma prova da qualidade do Campeonato Grande Hotel de Luso, ainda para mais quando percebemos que os de Arrifana até estão a seis pontos do líder, o Azagães, um clube que diz muito a Messi.

“Aquela é, praticamente, a minha casa”, assume o jogador, de 31 anos, que passou as últimas épocas ao serviço do emblema de Carregosa. “Decidi sair porque o Arrifanense apostou para subir. Os anos começam a passar, e queria algo de novo”, explica, ele que se confessa surpreendido com a campanha da sua antiga equipa. “A maior parte do plantel saiu, e surpreende-me de alguma forma o desempenho que estão a ter no campeonato. Estou a gostar. Vamos ver se vão ter estofo para aguentar”, refere.

Certo é que o Arrifanense, “candidato assumido ao título”, promete bater-se até ao limite pelo grande objetivo da época. “Não vai ser fácil, porque há equipas muito boas, mas vamos lutar”. Depois, há a Taça de Aveiro, e aí a meta é clara: “Queremos chegar à final four e vencê-la”.

20 de Dezembro de 2017
Rui Santos
[email protected]
Notícias Relacionadas
Jogadores
Equipas
Categorias
Tags
Twitter
Facebook
Notícias Mais Lidas