Antevisão e análise à Divisão de Elite por José Alexandre Silva

A jornada
Com uma vitória arrancada a ferros frente ao Mourisquense, em casa, o Mansores continua a ser a principal surpresa da Divisão de Elite, alcançando dez pontos nas quatro jornadas já concluídas da prova. Tendo sido um dos promovidos esta época à principal divisão do futebol aveirense, a formação orientada, de forma brilhante, por Vasco Coelho, tem mais pontos sozinha que os restantes clubes que a acompanharam na subida da época passada, a saber: Oliveira do Bairro 4 pontos, Mourisquense 2 pontos e Macieirense ainda sem somar qualquer ponto.

A par com o Mansores está o Esmoriz. A formação da Barrinha tem estado sempre na luta pelos lugares cimeiros da competição, mas, este ano, apresenta um novo treinador, Sérgio Machado, que teve a dura missão de substituir Narciso Ratinho. Quem perdeu o comboio da liderança foi o Bustelo, derrotado, em casa, pelo candidato Beira-Mar, pela margem mínima. Nota negativa para o Macieirense, que perdeu pela quarta vez, e para o Fiães, a realizar uma prova aquém das minhas expetativas.

O destaque
O destaque coletivo e individual segue para o Oliveira do Bairro, que foi ganhar ao sempre difícil estádio do Fiães, por 1-2, depois de ter começado, inclusivamente, a perder. Foi a primeira vitória para os “Falcões do Cértima” que, dessa forma, saíram dos lugares do fundo da tabela. O “herói” do jogo foi Marito, que conseguiu a proeza de fazer os dois golos que deram origem aos três pontos.

A Antevisão
A quinta jornada vai colocar à prova os dois líderes do campeonato, com as visitas de Mansores e Esmoriz à casa dos candidatos Beira-Mar e União de Lamas.

A realizar um campeonato de sonho, a “armada colombiana” do Mansores, liderada por Vasco Coelho, um amigo de outros campeonatos, tem, em Aveiro, um teste de fogo à sua real capacidade. Jogar em campo grande, como é o Municipal de Aveiro, não é fácil para ninguém, mas, por outro lado, é também o palco ideal para quem quer mostrar qualidade.

Já o Esmoriz vai ao campo de um União de Lamas que não ganha, nem perde, desde a jornada inaugural, e que precisa, se quer manter-se à tona, de vencer. A formação orientada por Ricardo Suiço não tem sido bafejada pela sorte e tem, contra este Esmoriz personalizado e com o segundo melhor ataque da prova, um teste ao seu caráter.

De realçar ainda a visita do também candidato São João de Ver à Mourisca do Vouga. A equipa liderada por Ricardo Maia não costuma dar-se bem em campo pequeno e contra equipas que exploram bem o contra-ataque. Será um osso bem duro de roer.

12 de Outubro de 2018
Notícias Relacionadas
Categorias
Tags
Twitter
Facebook
Notícias Mais Lidas